Customize

Green Brief nº 70-71 em português (7-8 de Setembro – 16-17 Shahrivar)

Discussion in 'Green Brief' started by mahagonny, Sep 9, 2009.

  1. mahagonny Member

    (tradução portuguesa do Green Brief nº 70, por Josh Shahryar (twitter.com/iran_translator e twitter.com/joshshahryar); os originais encontram-se aqui e aqui)

    (Estas notícias foram compiladas através de utilizadores do twitter no Irão e no estrangeiro, para além de contactos dentro e fora do Irão. Fontes dos media foram creditados quando utilizadas. Como as notícias que saem do Irão não podem ser totalmente autenticadas, quando uma notícia confirma algo, na melhor das hipóteses confirma que várias fontes fiáveis concordam com os factos.
    Esta compilação de notícas foi publicada com uma licença Creative Commons (CC) e pode ser republicada com a condição de ser indicado um link para a fonte original.)

    (Este Brief também inclui material de 6 de Setembro, mas como muitas das notícias desse dia já foram cobertas no Brief anterior, não as repeti.)


    Protestos / Manifestações / Agitação

    8 de Setembro

    O governo flectiu os músculos hoje, fechando o gabinete de Mehdi Karroubi. Funcionários do gabinete do Procurador-Geral de Teerão entraram no edifício durante o dia, forçaram Karroubi e o seu pessoal a sair e confiscaram documentos, CDs e computadores. Até indicação em contrário, o gabinete de Karroubi está sob controlo do governo.

    O jornal do gabinete de Karroubi, Etemaade Melli, também foi revistado e fechado. Foram confiscados documentos, computadores, filmes e CDs e as instalações foram encerradas. Todos os funcionários foram obrigados a dar os seus nomes, moradas e outras informações e enviados para casa.

    Isto sucede enquanto os protestos planeados para 18 de Setembro vão ganhando apoio entre a população. Karroubi confirmou hoje novamente que vai participar, e convidou todos os Verdes a fazer o mesmo.

    O gabinete do Procurador-Geral também encerrou os escritórios da organização de direitos humanos Defensores dos Direitos dos Detidos, confiscando material dos seus escritórios em Teerão.

    Mais de uma centena de familiares de detidos juntaram-se debaixo de uma ponte perto da prisão de Evin e entoaram cânticos contra o governo durante mais de 1 hora. Foram rodeados e ameaçados por forças de segurança, mas não pararam de cantar e houve pessoas da área que se lhes juntaram.

    Mais de uma centena de familiares de detidos também se juntou em frente ao Tribunal Revolucionário Islâmico, tendo também sido rodeados por forças de segurança. Há notícias não confirmadas de outros ajuntamentos e confrontos noutras partes da cidade.

    Em Qom, um homem foi preso com a sua família em plena rua por agentes à paisana armados, que pararam o seu carro e o alvejaram no ombro, antes de o arrastar enquanto cantava “Morte a Khamenei”. Não se sabe qual foi o seu crime e o paradeiro da família.

    O Chefe da Polícia do Irão, Esmail Ahmadi-Moghaddam, avisou os reformistas para não protestarem no dia 18 de Setembro. Segundo ele, os protestos apenas iriam mostrar as verdadeiras cores dos reformistas, pois as pessoas já aceitaram o resultado das eleições. Também acrescentou que não houve violações em Kahrizak.

    Um comandante de alta patente dos Guardas da Revolução, Ali Fazli, disse que vão ter reuniões com responsáveis de universidades iranianas para definir a resposta à agitação que possa ocorrer com os protestos planeados para a próxima semana.

    Os Verdes estão a manter reuniões para orações em Teerão, Qom, Tabriz e Shiraz para assinalar os últimos dias do Ramadão, utlizando-as para orações pela libertação dos detidos e pela reforma do regime.

    Foi noticiado hoje que uma activista dos direitos humanos e que trabalhou para a campanha de Mir Hossein Mousavi, Leila Sehat, foi banida de continuar a estudar na Universidade de Teerão.

    Na primeira noite de Qadr, foram ouvidos cânticos de Allah u’Akbar por toda Teerão e noutras partes do Irão.

    Depois da proibição da comemoração anual em honra do Ayatollah Taleghani em Hosseinya-e Ershad, a sua família pediu a todos os interessados que venham ao gabinete do seu filho na quarta-feira para celebrar a vida do clérigo.

    7 de Setembro

    Por volta das 16h30, hora de Teerão, as forças de segurança entraram no escritório do comité de campanha de Mousavi, que tem seguido o sucedido com os detidos, sem qualquer mandato ou ordem do tribunal. Confiscaram todos os documentos e material do escritório e levaram tudo para local não divulgado. Quando questionados sobre um mandato ou ordem judicial, as forças de segurança disseram ao pessoal no escritório que os documentos e materiais confiscados não iriam ser devolvidos, como tal não era necessário ordem judicial ou mandato.
    O comité, chefiado por Alireza Beheshti – o filho do Ayatollah Beheshti – tinha sido criado pela campanha de Mousavi para investigar os casos dos detidos, para determinar o número de mortos e para investigar desaparecimentos e outras questões relacionadas com a violência contra manifestantes.
    O escritório do comité era um dos poucos locais o0nde as pessoas podiam ir, apresentar queixas e falar de episódios de violência contra eles – algo importante, uma vez que as organizações de segurança ignoraram as vítimas e, em alguns casos, inclusivamente prenderam as vítimas que se queixavam.

    O governo baniu o encontro anual para homenagear o Ayatollah Taolghani. Os encontros para Shabe Qader no Mausoléu do Imam Massoma mantêm-se como planeado. No entanto, em lugar dos habituais oradores – Nategh Nouri e os Ayatollahs Amini, Javad Amoli – este ano os oradores serão clérigos pró-governamentais: Ahmad Khatami, o Ayatollah Sediqi, o Dr. Rafi’ie e Alireza Panahiyan. Havia notícias indicando que os Verdes se iam juntar aos encontros, no que parece ser uma tentativa do governo de impedir os Verdes de conseguirem ocasiões em que se reunir.

    Notícias indicam que dezenas de pessoas se juntam em diferentes partes de Teerão todas as noites e entoam cânticos contra o governo. Estes encontros são breves e simultâneos.
    Um exemplo de um desses protestos, a 3 de Setembro em Shahrake Gharb:
    YouTube - Nightly protests in Western district (Shahrak Gharb) 03 Sept. 2009
    6 de Agosto na Praça Vanak:
    [ame="http://www.youtube.com/watch?v=-hJ3cRFuP9Y"]YouTube - 2009-08-06 - Tehran - Vanak - P1 -... [/ame]

    6 de Setembro

    Estão a ser distribuídos folhetos por todo o Irão para os protestos de 18 de Setembro. Notícias indicam que, desde que se iniciou o apoio de reformistas, as pessoas começaram a organizar-se em massa, de forma a tornar os protestos tão bem sucedidos como possível.
    Imagens de folhetos: آسمان دیلی نیوز � اهم اخبار � پخش اعلامیه راهپیمایی 27 شهریور در سطح شهر تهران

    Dezenas de estudantes por todo o Irão têm perdido o direito de estudar nas universidades, dado que o governo começou a puni-los por participarem em protestos. Notícias indicam que estes estudantes estão a ser suspensos das suas universidades ou mesmo banidos de alguma vez poderem prosseguir estudos superiores, quer por terem sido fotografados durante manifestações quer por terem sido detidos.
    Tabriz, Shiraz e Teerão são as principais cidades onde isto tem acontecido.

    (continua)
  2. mahagonny Member

    Green Brief nº 70-71 em português (7-8 de Setembro – 16-17 Shahrivar) - cont.-1

    (continuação-1)

    Oposição

    8 de Setembro

    O filho de Karroubi, Hossein Karroubi, disse hoje que o seu pai estava a ser intimidado pelo governo para deixar de apoiar a investigação de violações nos centros de detenção iranianos. Disse ainda que as acusações de violações eram sérias e que o pai não iria desistir tão facilmente.

    A Facção do Imam no parlamento divulgou uma declaração contra as acusações do Comandante dos Guardas da Revolução, Mohammad Ali Jafari, dizendo que não tinham fundamento e se dirigiam contra as pessoas que tinham passado toda a vida a seguir as pegadas do Imam Khomeini.

    A Sazemane Mujahidine Enghelab (Organização dos Mojahedin da Revolução Islâmica)divulgou uma declaração pedindo ao recém-nomeado Chefe do Poder Judical, Sadegh Larijani, para abandonar o cargo se não conseguia lidar com a actuação flagrantemente fora da lei das agências governamentais, e pedindo-lhe que actuasse contra as actividades ilegais das forças de segurança. Também acusou as forças de segurnaça de coagir Javad Islam a confessar, raptando a sua filha por 24 horas.

    Num encontro com membros de grupos estudantis reformistas, o Grande Ayatollah Bayat-Zanjani criticou severamente os acontecimentos pós-eleitorais, dizendo que o poder não era a fonte da legitimidade, mas antes a legitimidade era a fonte da força.

    7 de Setembro

    O ex-presidente Seyed Mohammad Khatami disse hoje que se opunha aos que, em nome da luta contra o liberalismo ocidental, têm usado tácticas fascistas e ideias totalitárias para forçar as pessoas no caminho que achavam o melhor. Avisou todos os interessados para que pensem em reconstruir a solidariedade nacional e, de novo, restaurar a confiança em que o actual sistema pode ajudar a resolver os problemas.
    Deu a entender que estava a favor de o Islão permanecer como parte do governo, mas que se opunha aos que o estão a usar para cometer malfeitorias. Falando sobre a crise actual, disse que acreditava que as eleições tinham sido uma grande oportunidade que tinha sido desperdiçada. Disse que as pessoas tinham tido esperança e que tinham participado nas eleições e que poderia ter sido uma ocasião para restaurar a confiança das pessoas.
    Deu ainda a entender que se nos próximos meses nada for feito para corrigir os erros que foram cometidos, então será demasiado tarde para reformar o sistema.

    A 5 de Setembro o Grande Ayatollah Safi-Golapyegani visitou o seminário Imam Sajjad em Qom para se encontrar e conferenciar com o Grande Ayatollah Naser Makarem-Shirazi. A reunião ocorreu à porta fechada e, de acordo com o site oficial do Ayatollah Golpayegani, as duas Fontes de Emulação xiitas discutiram e chegaram a um consenso quanto a várias questões.
    Safi-Golpayegani tinha previamente apelidado as eleições de “grande mentira”. Makarem-Shirazi ainda não tomou partido, mas recusou-se a felicitar Ahmadinejad e não se encontrou com ele na sua primeira visita a Mashhad.

    Outras notícias provenientes de Qom indicam que os clérigos estão gradualmente a envolver-se mais. De acordo com essas notícias, clérigos pró-Khamenei estão a tentar reunir apoio a Ahmadinejad com o argumento de que Khamenei o apoiou, enquanto que clérigos oposicionistas têm declarado a autoridade de Khamenei nula.
    Depois de notícias do encontro entre o Grande Ayatollah Yusuf Sane’ie e o Grande Ayatollah Montazeri, foi agora confirmado que Sane’ie também se encontrou com os Ayatollahs Safi-Golpayegani, Mousavi Ardabeli, Shabiri Zanjani, Bayat Zanjani, Mousavi Tabrizi, Sayed Javad Shahristani (o representante do Grande Ayatollah Seyed Ali Sistani do Iraque) e Said Hasan Khomeini.
    Notícias confirmam também que nos últimos dois meses o Ayatollah Shabiri Zanjani se encontrou com o Ayatollah Sane’ie e o Ayatollah Montazeri. O Ayatollah Bayat Zanjani encontrou-se com Sane’ie no dia em que o seu escritório estava supostamente prestes a ser atacado por forças pró-governamentais.
    O encontro entre Sane’ie e Zanjani terá resultado no consenso entre ambos quanto à necessidade dos clérigos tomarem partido e mostrarem oposição às atrocidades cometidas em nome do Islão. O encontro de Sane’ie com Montazeri também abordou o mesmo assunto. Foi agora veiculado que ambos os clérigos discutiram acções que podem ser tomadas em solidariedade com outros clérigos.

    O Ayatollah Sane’ie, num encontro com estudantes, apelidou todas as acusações contra reformistas durante os julgamentos de mentira, dizendo que ninguém devia ficar em silêncio no que toca aos direitos das pessoas.

    A Assembleia dos Investigadores e Académicos de Qom, composta por clérigos reformistas, em resposta ao comandante dos Guardas da Revolução, Ali Jafari, divulgou uma declaração dizendo que a saúde do sistema era mais importante do que a salvação do sistema.
    A Assembleia apelou ao governo para libertar imediatamente todos os prisioneiros políticos, pedir desculpas às vítimas da agitação, processar e julgar todos os que cometeram actos ilegais e parar com as mentiras contra políticos, clérigos e académicos.

    A Associação dos Clérigos Combatentes também divulgou uma declaração informando da sua intenção de apresentar queixas legais contra Jafari, acusando-o de violar o testamento do Imam Khomeini.

    A Frente de Participação Islâmica Iraniana divulgou uma declaração onde condena as acusações de Jafari contra líderes reformistas, que em contrapartida acusaram Jafari de calúnias.

    Ali Hoseiniyan, um deputado membro da Facção do Imam, considerado o representante de facto de Rafsanjani no parlamento, também acusou Jafari e pediu um julgamento militar para ele. Em resposta às acusações de Jafari contra o filho de Rafsanjani, Mehdi Hashemi, Hoseiniyan perguntou a Jafari onde ele estava quando Hashemi era uma criança e foi visitar o pai à prisão durante o regime do Xá.

    6 de Setembro

    O Ayatollah Bayat Zanjani acusou elementos do governo de tentarem purgar os ideais do Imam Khomeini do governo, dizendo que em breve poderiam vedar o mausoléu do Imam Khomeini às pessoas.

    A Prémio Nobel da Paz iraniana, Shirin Ebadi pediu a todos os que queiram participar nos protestos a nível global que coloquem questões na sua página do Facebook. Podem deixar as vossas questões aqui: Shirin Ebadi | Facebook

    O deputado Hossein Hashemian, líder da Facção do Imam no parlamento, também acusou Jafari de mentiroso. Afirmou que alguns oficiais dos Guardas da Revolução estavam a planear demitir-se por causa das declarações de Jafari e do papel cada vez maior dos Guardas na política.


    Governo / Internacional

    8 de Setembro

    O porta-voz do parlamento, Ali Larijani, tentou apaziguar a ira das pessoas, apelando, num encontro em Iftar com deputados, pela diminuição das disputas políticas numa fase da vida do país que qualificou de “complicada”. Disse ainda que em ocasiões de dúvida como esta se devia “seguir a visão e os conselhos do Líder”.

    Khamenei irá liderar as orações de sexta-feira a 11 de Setembro. É a primeira vez desde Junho que Khamenei irá subir ao púlpito. Fontes internas iranianas sugerem fortemente que irá pedir uma nova repressão, desta vez possivelmente contra líderes reformistas.

    O Brigadeiro Yadullah Javani, líder do ramo político dos Guardas da Revolução, em resposta às críticas sobre o maior papel político dos Guardas, disse que a atmosfera no país tinha mudado e que já não se viam como um organização puramente de segurança.

    Uma fonte governamental indica que o ataque sobre o gabinete do comité de investigação da situação dos detidos foi ordenado pessoalmente por Ahmadinejad, no sentido de enviar uma mensagem clara aos reformistas.

    Fontes internas do governo indicam também que o novo Procurador-Geral de Teerão não quer a transmissão televisiva dos julgamentos de reformistas, nem o dos perpetradores de abusos em Kahrizak.

    O governador da Província de Teerão, Morteza Tamaddon, disse que o Conselho de Segurança Nacional nomeou uma comissão para investigar o ataque à residência universitária da Universidade de Teerão.

    O governo iraniano terá iniciado uma investigação sobre queixas públicas relacionadas com a agitação pós-eleitoral, sobretudo os abusos sobre prisioneiros.
    O Conselho Supremo Nacional de Segurança formou um comité para investigar os casos dos que sofreram perdas de qualquer tipo após as eleições e está a investigar as queixas de maus tratos feitas por presos que estiveram detidos em Kahrizak, no sul de Teerão. Este comité não está relacionado com um outro do parlamento constittuído para o mesmo fim.

    Ahmadinejad terá cancelado a nomeação de dois ministros que tinha designado apenas ontem, Fatemeh Alia e Ali Zabihi, para os ministérios da educação e da energia.

    Ali Motaheri, um deputado de Teerão, acusou hoje Ahmadinejad de tentar comprar o apoio de eleitores que votaram em reformistas através da nomeação de mulheres como ministras. Acrescentou que Ahmadinejad poderia até legalizar o uso de antenas parabólicas para pacificar a população.

    O Irão está pronto a submeter um novo pacote nuclear ao Ocidente na quarta-feira.

    Teerão foi exluída da próxima cimeira de nações fronteiriças do Mar Cáspio, que se irá realizar em Atkau, no Cazaquistão na quinta-feira, com representantes da Rússia, Azerbaijão, Turquemenistão e da nação anfitriã.

    (continua)
  3. Jakomeyu Member

    maybe you should transfer this to the foreign language board
  4. mahagonny Member

    Green Brief nº 70-71 em português (7-8 de Setembro – 16-17 Shahrivar) - cont.-2

    (continuação)-2

    7 de Setembro

    Farhad Tajari, membro do comité para avaliar os eventos após as eleições disse à agência noticiosa Mehr que o comité tinha tido uma reunião com o novo Procurador-Geral, Abbas Jafari Dowlatabadi, e tinha discutido a conduta dos guardas prisionais e a libertação de presos cujos crimes eram perdoáveis, como estudantes universitários e conferencistas cujo papel não tinha sido influente.
    Disse também que contra este último grupo ou não tinham sido reunidas provas suficientes, ou deviam ser julgados rapidamente.
    Pediu a Ahmadinejad para apresentar provas contra aqueles que tinha acusado, numa conferência de imprensa de manhã, de maus tratos sobre os detidos, de algumas detenções e dos ataques às universidades, dizendo que se tratava de elementos violentos que se tinham infiltrado nas forças de segurança.

    Khamenei pediu a Ahmadinejad para ouvir as críticas de apoiantes do governo, numa possível referência à sua tentativa de nomear mulheres ministras.

    Na primeira reunião do seu novo governo, Ahmadinejad disse que “o governo deve ter uma presença mais profunda, mais sábia e mais efectiva em todos os campos, e defender os interesses nacionais e os ideais do regime islâmico.”
    Apresentou Fatemeh Alia e Ali Zabihi ao parlamento como propostas de ministros da educação e da energia. A pasta que falta preencher, a do bem-estar, continua vazia.
    Fatemeh Alia é a quarta mulher que Ahmadinejad propõe como membro do governo, depois da nomeação de uma ministra e da rejeição de outras duas pelo parlamento.
    [ver notícias de 8 de Setembro acima para actualizações]
    Isto sucede numa altura em que muitos clérigos e pelo menos um deputado conservador pediram a Ahmadinejad para não nomear mais mulheres para o governo.


    Detenções / Libertações / Mortes / Tortura

    8 de Setembro

    Algumas das vítimas de violação apresentaram o seu caso e provas ao Ayatollah Javad Amoli, o Imam interinamente encarregue das orações de sexta-feira em Qom. Foi noticiado que depois do encerramento do gabinete de Karroubi, os Ayatollahs Javad Amoli e Yusuf Sane’ie disponibilizaram-se para receber todos os que tenham queixas de abusos, tortura ou violação.

    Houve três detenções de vulto hoje, um sinal claro de que o governo vai intensificar a sua opressão sobre os reformistas:
    - Alireza Beheshti (o filho do Ayatollah Beheshti, que foi um dos líderes da Revolução Islâmica), que era o representante de Mousavi no comité reformista de investigação das mortes, detenções e condições dos detidos;
    - Morteza Alviri, o representante de Karroubi no mesmo comité – após o gabinete desse comité ter sido atacado ontem e quase todo o material ter sido confiscado por ordem do Procurador-Geral;
    - Mohammad Dawari, jornalista e editor do Sahaam News, um site noticioso próximo de Karroubi, que trabalhava também com o Etemaade Melli depois de o Editor-Chefe, Mohammad Ghouchani, ter sido preso.

    Um dia depois de 300 jornalistas terem escrito ao novo Procurador-Geral de Teerão pedindo-lhe para parar as acções ilegais do seu gabinete e voltar a permitir a publicação de jornais reformistas, 15 dos signatários da carta foram chamados ao Ministério da Informação e ameaçados, tendo-lhes sido dito que já não estavam autorizados a viajar para fora do Irão.

    Os Repórteres Sem Fronteiras pediram a libertação de Ali Asguar Jamali, um blogger e médico da cidade de Qasvin, no norte do Irão. Jamali foi preso juntamente com outros activistas por “incitamento contra a segurança nacional, incluindo protestos e insultos contra agentes do governo através de publicações e de encontros”, tal como divulgado pela agência Fars. Um jornal de Qasvin foi citado pela agência dizendo que Jamali tinha sido preso enquanto líder de um grupo de activistas e “um médico que tinha relações imorais com os pacientes”. O tribunal alegou também que “álcool e provas de pertença a grupos contra-revolucionários também foram encontrados no seu gabinete”.

    Houve notícias não confirmadas hoje da detenção de pelo menos 30 pessoas da Praça Shohada onde estava a ter lugar um encontro.

    Novas notícias de Teerão indicam que o governo criou pelo menos uma força de segurança clandestina, não relacionada com outras organizações de segurança, unicamente para a detenção de reformistas de baixo perfil que organizem protestos.

    7 de Setembro

    A identidade de cinco novas vítimas do Mar Verde foi revelada. De acordo com as fontes, estas incluem Mohammad Naderipour, de Serjan, membro da campanha de Mousavi, e Majid Kamali, de Imamshahr. Os outros três foram apenas identificados pelo último nome. Postaremos assim que existir informação completa.

    Do Tehran Bureau:
    “Um dos fotógrafos do Líder Supremo Ali Khamenei, que tinha sido violado em Kahrizak, informou pessoalmente o Líder do incidente, levando ao encerramento do centro de detenção. Tinha sido preso durante a agitação pós-eleitoral e levado para Kahrizak, onde foi violado e torturado.
    De acordo com a fonte, terá dito ao Líder, “O que eles fizeram é inumano e viola os direitos humanos... Quando me fizeram estas coisas, aos meus olhos era você que as estava a fazer”. Foi depois de ouvir o seu relato que o Líder ordenou o encerramento do infame centro de detenção.
    Durante as eleições, trabalhou como documentarista de Mir Hossein Mousavi e era um dos cameramen que filmava os filmes da campanha de Mousavi.”

    De acordo com o Saham News, Mehdi Karroubi não aceitou as alegações feitas por membros do comité judicial especial para a investigação de violações nas prisões em como não lhes tinha providenciado qualquer prova documentada das suas queixas. Karroubi apresentou um relatório médico de uma vítima de violação na prisão e afirmou estar pronto a apresentar mais provas.
    “Dei-lhes três documentos na reunião”, disse Karroubi. “O primeiro era um testemunho em video da pessoa que desapareceu por causa das ameaças feitas pelo representante do Juiz Saeed Mortazavi. O segundo documento era acerca do abuso sexual de uma mulher. O terceiro era acerca de um homem que foi sujeito a várias provas depois de detido, e providenciei-lhes um CD e o relatório do exame médico também, para além de dois testemunhos verbais.”
    “Um dos testemunhos era acerca de Taraneh Mousavi...”

    Sete convertidos cristão que estiveram detidos mais de 3 semanas foram libertados sob fiança.

    Zahra Towhidi foi libertada.

    Saed Shahriati terá passado o jantar de Iftar de quinta-feira com a sua família e depois levado imediatamente de volta à prisão. Abtahi tinha sido autorizado a fazer o mesmo alguns dias atrás.

    Atefeh Imam, a filha do reformista detido Javad Imam, foi presa na Avenida Taloghani e posteriormente libertada.

    6 de Setembro

    Idris Ariashokoh e Ziauddin Saboori, dois agentes séniores do Ministro do Interior, estão detidos há 80 dias. Só agora surgiram notícias sobre a detenção.

    No sábado, um jovem foi espancado e ferido por forças de segurança no Parque Laleh, e posteriormente detido.


    Media

    8 de Setembro

    Raja News, um media conservador e forte apoiante de Ahmadinejad, publicou hoje um artigo queixando-se que os manifestantes estavam a usar autocarros em Teerão como palco de protestos. De acordo com o Raja, as pessoas estavam a entoar cânticos a partir de autocarros enquanto estes percorriam as ruas de Teerão, criando agitação!

    7 de Setembro

    Saeed Hajjarian, Saeed Shariati e Atrianfar foram forçados pelo governo a participar numa mesa redonda na TV pública. Durante o debate, falam de porque mudaram a sua posição. Vai ser emitido pela TV pública em breve.

    6 de Setembro

    Keyhan apelidou as exigências de Mousavi, na sua 11ª declaração, um plano escrito pela CIA.

    A TV pública emitiu um documentário sobre Kahrizak ligeiramente mais imparcial, no entanto não segue as alegações mais graves contra o centro de detenção. Kahrizak é apresentado depois de ter sido pintado de novo e sofrido uma grande limpeza.


    Vários

    7 de Setembro

    Shajarian juntou-se ao Movimento Verde com uma nova obra-prima chamada Baixem as armas: YouTube - ‫زبان آتش Zaban e Atash‬‎

    Jogos sociais com consciência! Play4Iran: ANNOUNCEMENT: Play 4 Iran SOCIAL GAME WITH A CONSCIENCE LAUNCHES ON TWITTER - Free-Press-Release.com

    Um cartoon enviado por cartoonistas iranianos para o 9º Festival Bienal da Caricatura em Teerão: http://www.persiancartoon.com/site_f...toon-bieni.jpg

    (continua)
  5. mahagonny Member

    Green Brief nº 70-71 em português (7-8 de Setembro – 16-17 Shahrivar) - cont.-3

    (continuação-3)

    Protestos Internacionais / Eventos / Avisos / Esforços

    Para informações sobre protestos organizados contra o discurso de Ahmadinejad nas Nações Unidas vejam http://united4iran.com/ e vejam também esta história sobre esforços para impedir a estadia de Ahmadinejad em New York: http://www.nypost.com/p/news/regiona...LoqWoXlyno6JyK

    Para mais informações sobre os protestos em New York, visitem http://standbyiran.org ou http://united4iran.org/

    Está a ser organizado um evento em Bruxelas em memória dos mortos pelo regime iraniano nos últimos 30 anos. Para informações liguem: 0032 486 48 43 65

    Informação sobre transportes da Maryland e Virginia para New York para o protesto de 23 de Setembro: Protests to welcome Ahmadinejad at UN in New York

    Um evento de angariação de fundos está a ter lugar em Richmond, California, para os protestos em New York a 23 e 24 de Setembro. Link: http://tinyurl.com/n5adyj

    Para uma lista não oficial de protestos a ter lugar proximamente nos Estado Unidos: Protesting for Iran until they don't have to

    Para uma lista dos protestos que estão a ser planeados na Alemanha, visitem este link: Julia's Blog: Protests and rallies in Germany (subject to change w/o notice)

    Um site assertivo de apoio a Verdes traumatizados: Healing the Green Soul

    Verdes em Estocolmo a partir telemóveis Nokia: Nokia works with Tehran. So stamp on your mobile | The Observers

    Algo para os Verdes franceses considerarem: www.whereismyvote.fr

    Estocolmo Verde, Terra, Mar e Ar: گزارش تصویری/ حمایت از جنبش سبز در استكهلم - سوئد

    Uma petição para ser assinada e enviada aos embaixadores, bem como os seus contactos: UN Email

    (Se vocês, os vossos amigos ou a vossa organização realizarem eventos, manifestações ou qualquer outra coisa relacionada com as eleições iranianas internacionalmente, por favor enviem-me um email com pormenores e dar-vos-ei cobertura. (Só vos custará 10 milhões de dólares!) O meu email é: dbosca@gmail.com)


    A quem quer ajudar

    - Informação sobre a republicação do Green Brief: For Bloggers, News Sites and Forum who want to republish the Green Brief Plesae Read! - Why We Protest - IRAN

    - Informação sobre o Tor: http://torir.org

    - Esta página contém uma lista de mirrors externos para o GB, tal como várias informações sobre o GB. Links para traduções também são encorajados: Category:Green Brief - Anonymous Intelligence Collective

    - Uma lista de todos os Green Briefs: The Green Briefs

    - Um agradecimento caloroso a Sahar Joon e S joon pela ajuda com a revisão e dicas valiosas. Também um MUITO OBRIGADO a todos os tradutores que têm passado o seu tempo precioso a fazer chegar isto a tantas pessoas quanto possível.

Share This Page

Customize Theme Colors

Close

Choose a color via Color picker or click the predefined style names!

Primary Color :

Secondary Color :
Predefined Skins